As perguntas como facilitadoras da comunicação

As perguntas são uma maneira de direcionar e induzir as crianças para a comunicação oral. Entretanto, existem outros aspectos maneiras que são importantes na tentativa de ampliação da comunicação oral.

Os adultos gostam de conversar sobre coisas que estejam dentro de seus interesses, e as crianças não são diferentes. Assim, para propiciar a comunicação verbal, as perguntas direcionadas à criança precisam ser baseadas em seus interesses. Como por exemplo, fazer perguntas sobre as experiências do seu filho é uma boa maneira de incentivá-lo a realizar a comunicação verbal.

Como direcionar a comunicação através de perguntas?

Alguns pais acabam por utilizar demasiadamente “perguntas testes”. As “perguntas testes” visam fazer com que uma criança nos mostre se sabe algo ou não. Por exemplo:  “Que cor é essa?” ou “O que é isso?”. O excesso de perguntas testes desencorajam os atos comunicativos, principalmente quando a criança já apresenta dificuldades relacionadas à linguagem.

Contudo, as perguntas que estimulam a conversa devem estar apenas um pequeno passo à frente das habilidades de uma criança. Sendo assim, se todas as suas perguntas forem muito fáceis e não exigirem muita reflexão, elas não incentivarão a linguagem ou outras habilidades. Por outro lado, se todas as suas perguntas forem muito desafiadoras, seu filho provavelmente se sentirá desencorajado.

Além disso, as perguntas que são respondidas apenas com uma palavra devem ser evitadas. Tais perguntas geralmente começam com “Você …”, como “Você está com fome?” ou “Você gosta de desenho?”. Outras podem começar com “Qu..”, por exemplo, “Qual o nome do desenho?”, “O que é isso?”. Estas perguntas não incentivam tanta linguagem.

Para estimular os aspectos relacionados a comunicação utilize as perguntas como direcionadoras, como uma tutela para a criança. As respostas mais longas incentivam as crianças a pensar um pouco mais. Essas perguntas são mais abertas, incentivam seu filho a dar uma opinião ou explicação e ampliam seu pensamento para além do aqui e agora. Inicie as perguntas com “Por que …?”, “Como …?” Ou “O que você acha sobre …?” geralmente incentiva mais linguagem, como “Por que você acha que ela está chorando?” ou “Como devemos construir o boneco de neve?”.

E caso a criança erre a resposta? Como reagir?

Às vezes, a criança não saberá a resposta para sua pergunta ou responderá incorretamente. Quando isso acontecer, use-o como uma oportunidade para ajudar seu filho a pensar e aprender. Mas antes de dar a resposta, como podemos ajudar a criança a desenvolve-la?

  • Reformule a pergunta (exemplo: “como devemos desenhar o gatinho?, tente reformular para “Por onde podemos começar o nosso desenho?”)
  • Faça um comentário que direcione a resposta (“Hmmm … estou pensando em começar pela orelha dele! “).

Qual é o melhor momento para fazer perguntas?

Um excelente momento para utilizar mais perguntas abertas é quando você compartilha livros. As histórias fornecem muitos novos aspectos, o que cria oportunidades para pensar e usar a linguagem de novas maneiras. As figuras fornecem pistas que podem ajudar a criança a encontrar respostas para suas perguntas.

Vale ressaltar, que é sempre importante ponderar a quantia de perguntas e o repertório linguístico da criança. Desta forma, é importante através de comentários ressaltar fatos e fornecer conteúdos semânticos. Porém, o momento e o tempo de fala da criança devem ser preservados, o adulto deve agir sempre como interlocutor e tutor da comunicação. Isso favorecerá o vocabulário da criança.

Deixe um Comentário

error: